Gauss e o Signo Arqueológico

Gauss e o Signo Arqueológico

Físico Alemão Gauss campo elétrico

Gauss um Físico Alemão conhecia o módulo do signo que é arqueológico, o tal Santo Graal da Ciência e Espiritualidade, e neste post provaremos como através do conhecimento e leitura modular deste objeto arqueológico ele desenvolveu sua teoria do fluxo do campo elétrico através de uma superfície fechada tridimensional.

Bem vindo a Semana ‘Momento Café com Sabedoria’ de O Novo Paradigma. Através deste post iremos demonstrar como Gauss desenvolveu suas leis usando como plataforma o ‘referencial inercial’ de Sir Isaac Newton descrito em toda a obra de Elementos de Euclides e que nada mais é que o Santo Graal unido aos seus frutos, números fixos descrevendo e arqueologicamente um sistema trigonométrico modular para a leitura de nosso Universo, cosmogonia.

O vídeo disponível neste post e que ao final você irá apreciar e aqui é parte do Curso I de Euclides e do Módulo I referente as IV Aulas sobre o Santo Graal. Entenda, disponibilizaremos neste post apenas a Aula III, mas se caso o conteúdo lhe interesse e venha a lhe despertar a curiosidade e vontade de saber mais basta preencher o formulário descrito após o vídeo e neste post para ser redirecionado a playlist destas ‘IV Aulas sobre o Santo Graal’ e que também apresentam Gauss e totalmente gratuitas. #dicasdochapeleirolouco

São IV aulas de 25 a 30 minutos cada que descreverá a base de leitura do Santo Graal junto a arqueologia e ao mesmo tempo apresentará de forma geral sua relação com Newton, Euclides, Pitágoras, Gauss, etc.

Gauss e o Signo Arqueológico 1 - 725 90 posts 6

Analisando Gauss e o Signo

É fundamental para a lei de Gauss, o fato de que a força elétrica é proporcional ao inverso do quadrado da distância.

E o quadrado da distância é fundamental compreender no signo arqueológico já compreendido por Sir Isaac Newton entre as forças fortes e fracas do sistema e descritas no paralelogramo de seu Corolário I onde esta compreensão estará mais especificamente no vídeo IV de Santo Graal, vídeo que participa do CURSO I de Euclides ao qual você poderá ver mais detalhes sobre o Curso I de Euclides aqui. Para compreender especificamente e em vídeos o quadrado da distância, corolário I da Principia de Newton e as forças fortes e fracas relacionadas e que sempre foram descritas pelo signo arqueológcio, Cálice carregado por Jesus, se inscreva em nosso site ou preencha algum formulário de interesse, isto o manterá atualizado por e-mail, estamos reorganizando os vídeos gratuitos sobre os Filosofos da Natureza e um deles explica Newton e sua relação direta com o ‘signo arqueológico’. Vale ressaltar que O Novo Paradigma distribui para as atualizações de seus conteúdos apenas um e-mail semanal, então não se preocupe, não lotaremos a sua caixa de entrada de e-mails.

Vamos resumir alguns caminhos aqui sobre esta relação ‘Gauss e Signo arqueológico’ onde o produto é igual a Lei de Gauss, seu agora paradigma e para a história e humanidade.

Três condições foram necessárias para compreender está relação:

1- A necessidade de econtrar o módulo de relação ‘perpendicular’ escrito na Lei de Gauss no signo arqueológico, e

2- Compreender o sistema de anulação, positivo e negativo entre signo e Lei de Gauss, e

3- Encontrar o sistema escalar e sua relação com o ‘inverso do quadrado da distância’ através do arco encontrado no módulo perpendicular do signo. (esta compreensão está disponível na Aula IV do Santo Graal)

Oferecendo esta pontinha do iceberg, esta portinha da ‘coisa’, fica então aos ‘expertises’ as devidas melhorias em nossa ciência mundial e com a verdade e nada mais que a verdade, pois como nós daqui de O Novo Paradigma já debatemos, a Teoria das Cordas, Metafísica e Quântica junto a incerteza de Heisenberg como paradigma estão tomando rumos absurdamente incorretos e na nossa ainda atualidade.

Módulo perpendicular que inspirou Gauss a desenvolver sua lei através do conhecimento do signo arqueológico

Foi lendo em nosso feed de notícias do Facebook uma das leis que compõe as quatro equações das Leis de Maxwel o nosso despertar para este conteúdo. O início deste post dizia o seguinte:

As formas integrais simplificadas das equações de Maxwell: a base teórica do eletromagnetismo clássico, que resultou em inúmeras aplicações tecnológicas revolucionárias que mudaram o mundo. Compreende quatro leis distintas: A superior esquerda é a Lei de Gauss: Numa superfície tridimensional fechada qualquer, o fluxo total de campo elétrico que entra ou sai dela depende exclusivamente da quantidade de carga elétrica em seu interior e da permissividade elétrica do meio, ou seja, mostra como cargas elétricas estacionárias geram um campo elétrico. A inferior esquerda é a Lei de Gauss para campos magnéticos: Numa superfície tridimensional fechada qualquer, o fluxo total de campo magnético é sempre nulo, ou seja, a quantidade de campo que entra é a mesma que sai, devido à inexistência de "cargas magnéticas" isoladas (monopolos) e as linhas de campo magnético sempre seguem curvas fechadas. (...)

Exatamente a palavra ‘tridimensional’ unida a ‘superfície’ e ‘fechada’ que nos chamou profundamente a atenção, pois uma de nossas representações alcançadas do signo arqueológico entre cortes e proporcionalidades, uma vez que o estamos especulando na arqueologia dos fatos e história dialética nos demonstra claramente esta ‘superfície tridimensional fechada’, a terça parte descrita no fenômeno, a coisa, o próprio ‘referencial inercial’ de Newton apreciadíssimo por Gauss tão quanto suas profundas especulações e análises sobre Euclides, e isto então nos indicou a relação de Gauss com o conhecimento deste objeto ao qual já demonstramos várias vezes a mesma relação com Newton, Pitágoras, Euclides, Descartes, Anaximandro, etc e onde você terá destas relações e reforçadas no Curso I de Euclides: Proposição I a VI.

Signo Arqueológico Cortes e Proporções

O módulo perpendicular da ‘coisa’ está nesta representação de números fixos do signo arqueológico entre 5 e 6 do arco apresentado no Video IV do Santo Graal, lembre-se que o vídeo que disponibilizaremos neste post é o vídeo III e para obter o IV basta preencher o formulário ao final do post que você será diretamente redirecionado a playlist, enfim, 5 e 6, este é o módulo perpendicular que descreve um sistema escalar infinitesimal ao qual inversamente e no seu próprio quadrado da ditâsncia determinará agora o volume e a expressão do todo fenômeno e sus devidas manifestações.

Sistema de anulação e o positivo e negativo da ‘coisa’

É representado pelos números fixos do signo arqueológico 5 e 5 de sua linha horizontal e está relacionado diretamente ao Corolário I de Sir Isaac Newton no módulo e quadrado da distância quando nas relações de forças descritas na haste vertical deste objeto , pictografia arqueológica, de valor fixo 6 e 4.

5 ou 0,5 mil, milhares e milhões descrito por Daniel Bíblico conhecedor desta chave arqueológica e participante da época do Império de Aquemênidas ao qual nesta época Parmênides e Aristóteles unidos a este poder estavam destruindo a leitura deste módulo reclamado por Sócrates e Zenão é e sempre será expressivamente, qualitativamente na leitura da ‘coisa’, a curva ou convergência do sistema intrinsecamente relacionado a qualidade 7 deste objeto que indica por coordenada o círculo em volta de um quadrado.

Para compreender as intençoes deste falso eleata Parmênides convidamos a ler o post da Semana de Leituras Incríveis e Profundas sobre a Corrupção Perceptiva Mudial da Metafisica.

É exatamente a quantidade de raios e na ‘coisa’ arqueológica que se determinará o tipo escalar infinitesimal da própria ‘coisa’ e agora seu volume e todas as devidas condições que a comportam, ou seja, se um fenômeno equilibrado em si mesmo ou se um fenômeno gerando um tipo de Arco do Sol e consequentemente liberação de energia.

É importante perceber, e o que estará disposto no video aqui apresentado, a relação da corda 5 e 5 do signo arqueológico as proporcionalidades 75% e 83% de seus cortes sobre 3 quadrantes de 4 quadrantes de 1 quadrado, onde 70% ou 7 na leitura de qualidade pitagórica explicada em obra sobre o ‘Ultimo Teorema de Fermat’ e que você poderá baixar gratuitamente é o ‘limite’.

O Sistema Escalar de Gauss no signo arqueológico

‘Negativo é falso’ já dizia Hegel quem resgata detalhadamente este objeto arqueológico na história inspirando os clássicos e por isso é em 5/6 e inversamente 6/5 que encontramos a escala infinitesimal de Gauss ao qual determinará o volume da ‘coisa’ unido a uma leitura numerica pitagórica ‘não-mística’ sobre o signo arqueológico, pois 1 é equivalente a um corpo e tudo o que estiver após a vírgula é equivalente a um novo corpo se formando onde o ‘negativo’ neste módulo apenas indica movimento delimitando o volume.

O mais incrível é que provaremos que Eletromagnetismo não é DeuS e nunca será, sendo apenas mais um fenômeno de nosso maravilhoso e excelso Universo, onde Deus estará naquilo que Anaximandro já se inspirava em medir, pesar e explicar, no Apeirón ou mesmo e o que mais acreditamos, além do Apeirón, pois no além do infinito de Zenão.

Aprecie a Aula III sobre Gauss de O Santo Graal, aula que fará parte do Curso I de Euclides.

Quer assistir todas as IV aulas de Santo Graal que faz parte do Primeiro Módulo do Curso I de Euclides, preencha corretamente o formulário que você será imediatamente redirecionado a playlist.

    Escritório de Estudos, ajude nosso canal, obrigado!

    paradigma

    O Novo paradigma é um site 'revelador' que discute temas sobre o Santo Graal da Ciência e Espiritualidade resgantando na arqueologia e História a Primeira Filosofia, Metafísica, Teoria das Cordas, Quântica, Física e Tecnologias.