CONCEITOS E PRINCÍPIOS DA IMAGEM E DA IMAGEM PESSOAL (A PROBLEMÁTICA)

Acredito que uma das primeiras coisas que devemos observar é que a imagem não é aquilo que apenas ‘conduz ao mundo afetivo e simbólico’ pela ‘subjetividade’, ao contrário, conforme Kant e a estética espacial e temporal, a imagem pode estar tanto no universo da analítica quanto da sintética, ou seja, da analitica que possui o sensível e está no SER do Complexo Edípico Normal, no dentro de mim e capaz de conceber sensações do sisntético que é todo o universo do TER fora de mim e por isso objetal, do objeto.

Conforme Psicologia das Massas devemos compreender em primeira instância aquilo que está muito claro em o Futuro de uma Ilusão e que é a ‘grande hipnose’ precursora de base da ‘grande neurose’ ao qual codificará, se ligará, terá relações e ligações com as imagens concebidas e que podem ser concebidas por leis imotivadas ou não, críticas de Saussure.

Das leis imotivadas quando estas pelas categorias de Kant do Juízo são entendidas como apenas gerais e da dialética temos o afetivo e simbólico nos dominando, por exemplo.

Os homens das ‘instituições’, grandes instituições ainda atuais de nossa sociedade e pelas tais Academias Socialistas reclamadas por Stuart Mill privam o conhecimento de um passado, seus hieróglifos, privam o compreender a própria Grécia e este Kant ainda vergonhosamente obscuro para garantir estas respostas operantes de emoções pelas condicionantes simbólicas e, sendo assim, quem são este privadores, estes proibidores, estes homens?

São, por incrível que pareça, grandes pensadores e os mais próximos da época de Freud os da Escola de Berlim e colaboradores, os tais, em parte, alemães.

Então o homem individual já tomado linguisticamente pela interpretação, reclamações claras de Espinoza e nesta história da civilização, recebe como ‘conceito’ o termo ‘eros’ que conforme Freud deixa de ter seu significante real e passa a significar apenas ‘erotismo’ perdendo assim e por analise as categorias do juízo do termo e o generalizando no senso comum que se confunde agora com a própria ciência.

Diríamos que o amor se perde em seu conceito onde ‘ter’nura irá se misturar com o sexo e antes mesmo de se manifestar nos aspectos de enamoramento constituindo-se como meta sexual direta no homem e na mulher para tudo na vida, em suma, na pré-adolescência quando os hormônios começam a se manifestar e agora em nossa modernidade nos pontos erógenos manifestos também em uma criança.

Isso é um enorme facilitador para se criar então a Lisis e os líderes para finalmente pela ligações emocionais das massas e pelo próprio uso da metapsicanálise guiar um povo pelo patrimônio psíquico por condicionantes os fazendo operar como desejamos.

O indivíduo agora ‘órfão’ de pai e mãe, do ter/ser ou ser/ter do complexo edípico normal e que é uma mecânica, um processo da tópica e não um ‘problema de tópica’, mas como disse um processo que indicará onde estão todos os problemas, está vazio, dependente e necessitado.

Sendo assim a ‘conexão com a constituição psíquica e existencial’ individual vai muito mais além, pois agora constitui-se por Gestalt Estrutural ‘oculta’ e sem compreender a própria Gestalt, pois apenas Gestalt das formas, uma forma de ‘ser’ e por não ‘ter’ para ‘ser existencial no tempo’, ‘nada ser’, pois as partes não fazem mais parte do todo milagrosamente independente, unívoco e livre.

Obviamente que para deferir e compreender isso teremos de compreender não apenas a Gestalt como as tabelas do Complexo Edípico Normal exposto na Psicologia das massas e analise do eu por Freud.

Para saber mais você tem três opções:

  1. Se inscreva em nosso Jornal abaixo,
  2. Faça nossos cursos EAD clicando acima no Menu, ou,
  3. Fale Conosco, será um prazer ouví-lo.
CONCEITOS E PRINCÍPIOS DA IMAGEM E DA IMAGEM PESSOAL (A PROBLEMÁTICA) 4 - 1080x300 para posts 1