Apocalipse: os 144 côvados do muro e os 144 mil número de homem e de anjo

Apocalipse: os 144 côvados do muro e os 144 mil número de homem e de anjo

pensando filosofando

E mediu o seu muro, de cento e quarenta e quatro côvados, conforme à medida de homem, que é a de um anjo. Apocalipse 21:17

Os 144 mil de Apocalipse na Estela de Tutmes ou Estela de Manre

144 côvados equivale a 65,8369 metros! A esfinge de Gizé possui 75,5 metros de comprimento, 19,3 metros de largura e 20,22 m de altura. A diferença de 75,5 para 65,83 são de 9,67 ou se 75 para 65 o número de Deus de valor 10.

Apesar de intitularem Estela de Tutmés ou Tutmosis tomaremos a liberdade de classifica-la como Estela de Manre conforme reclama Isaias Cap.I sobre a cobiça do Carvalho que remete as Árvores de Manre também relacionadas com a representação de Esaú quando acompanhando a linhagem hitita e que foi corrompida em seu entendimento pelos que fazem dela e seu poder Culto, Peor, algo também reclamado por Zacarias Bíblico e todos a favor de Jesus, esta mesma corrupção pode ser vista nas escritas do nome Ptolomiss na Pedra de Roseta quanto ao Ank e que é a própria vara de Arão tão desejada, mas que na pictografia se encontra encurvada de forma a indicar ritual sobre sua sabedoria em mesa agora de símbolos para corrompê-la. Corromper a perceptiva do homem em todas as coisas!

Porque vos envergonhareis pelos carvalhos que cobiçastes, e sereis confundidos pelos jardins que escolhestes. Porque sereis como o carvalho, ao qual caem as folhas, e como o jardim que não tem água. E o forte se tornará em estopa, e a sua obra em faísca; e ambos arderão juntamente, e não haverá quem os apague. Isaías 1:29-31

Perceba a relação dos Carvalhais com Manre:

Depois apareceu-lhe o Senhor nos carvalhais de Manre, estando ele assentado à porta da tenda, no calor do dia Gênesis 18:1

Esta passagem remete a Abrão depois que se afasta das regiões de Babil corrompidas na época por Ninrode e iniciando-se na sabedoria dos Carvalhais pelos da linhagem hitita de Canaã em Abimeleque negadas por Noé.

Compreendendo isto vejamos novamente alguns detalhes sobre a Estela de Manre intitulada de Tutmoses de Gizé e seus valores conforme já exposto em artigo Surpreenda-se: A Arca da Aliança sempre esteve na Esfinge de Gizé e detalhado aqui em O Novo Paradigma Notícias e seu Blog de Opinião.

Calculando os 144 côvados que expressam os 144 mil, medida de homem, medida de anjo.

Naquele tempo haverá cinco cidades na terra do Egito que falarão a língua de Canaã e farão juramento ao Senhor dos Exércitos; e uma se chamará: Cidade de destruição.

Isaías 19:18

Percebam que a relação dos valores da arca encontrada na Esfinge de Gizé, e por nós já apresentada em artigos, nos conduzirá a um pulso sistêmico em elo de movimento do sistema de cima para baixo em perceptiva de forma representativa e em ganchos, verdadeira ciência metafísica para através dela descobrir por navegação fórmulas de base tecnológicas e funcionais para infinitos fenômenos universais.

Imprima ou guarde em .pdf sua Arca da Aliança encontrada na Esfinge de Gizé

Seguindo a Proposição de Elementos de Euclides sobre as provas do decamimento do sistema do signo arqueológico ao qual com seus números fixos e movimento (trigonometria) demonstram um decaimento de corda sempre sobre si mesmo e uno e ao mesmo tempo em que múltiplo, consideremos apenas uma coluna do sistema da arca em Gizé através das repetições numéricas encontradas, lembrando que encontrando o valor desconsideraremos a massa apresentando as sobras e sempre a transformando em inteiro ou vice-versa se necessário, verdadeiro orfismo pitagórico de leitura em qualidade e coordenada a priori no ‘objeto’ (signo arqueológico, o mapa fixo do verbo), logo:

Descortine Conhecimento. Aprofunde-se. Inscreva-se.

Nossos Webinários, Cursos e Conferências

Conheça mais sobre o Santo Graal arqueológico e sua trigonometria junto a história dialética. Saiba quem o conhecia e como trabalhavam sobre ele. Compreenda os problemas da hermética e ciência mundiais atuais.

previous arrowprevious arrow
next arrownext arrow
Slider

0,06*0,04=0,0024 e em inteiro é 24, os 24 anciãos. (primeiro código aberto, obs.: abra a Arca em .pdf para entender onde estes números estão localizados)

Esta condição de 0,000 infinito … 24 e se transformando no valor apenas 24 é a priori uma linguagem de coordenadas, pois o Candelabro, Candeia, Árvore, tudo ao mesmo tempo, trabalha com os números essenciais de 0-9 no sistema corrompidos pela segunda navegação de Platão. Precisamos, então destes números elementares para encontrá-los dentro da chave arqueológica e trigonométrica de cordas, o Santo Graal. Logo, um exemplo, se 0,083 ou 1,2 ou 0,0024 resgatamos 83; 12; 24 etc.

Santo Graal da Ciencia e Espiritualidade signo arqueologico

Estes valores estão na primeira e segunda linha superiores do sistema abaixo da tampa de 3 linhas da representação da estela que está em Gizé.

(baixe o pdf para acompanhar)

Lembremos, 0,06*0,04=0,0024 equivalente aos códices 24 anciões. Considere então o decaimento das linhas de sempre valores repetidos e na tal estela de Tutmosis representativa da Arca, por exemplo, 0,06 se torna um único quadrante retirado de 6 repartições, o mesmo para 0,04 e o mesmo acontecerá para o resultado, todos, que encontraremos em 144.

Note que 6+4 é o valor do átrio do sistema, trono de Deus em 10 e também o valor principal do signo arqueológico, Santo Graal, pois a vara de Arão nasce no sexto dia, valor 6 que em sua haste vertical carrega 4 e que pela altura do triângulo de um duplo sistema de módulo representará a exponenciação sistêmica do módulo.

Entenda e observe na imagem puxada em .pdf ou aberta em seu desktop ou mobile o procedimento, a forma de se enxergar a compartição numérica encontrada do sistema dos quadrantes na Arca, estela e escrita abaixo da Esfinge de Gizé.

Primeiro temos abaixo de 3 linhas da tampa 3 colunas de cada lado como são três incensários do Candelabro de cada lado. 3 colunas com 2 linhas totalizando o valor 6 e desta forma cada quadrante terá valor seis ou 0,06. Lembre-se que zeros são quantificações expressas nas chaves de Daniel para explicar este módulo, ou seja, mil, milhares e milhões. Abaixo cada coluna ligada a coluna de cima com três linhas comportam o resultado de 6+6=12 que repartidos em três perfazem os valores 4 para cada quadrante onde os quadrantes de valor 1 indicam a sobra sempre apresentada pelos cálculos e explicações de Arquimedes o tal 0,0001 ou 0,001 ou mesmo 0,01 e como 6*4=24 estamos no caminho certo da especulação. *** verifique a imagem da estela em .pdf para compreender.

Encontrado os valores nesta divisão, nestes compartimentos agora calculamos. Neste caso como os números são repetidos e iguais pegamos apenas um por um dos quadrantes e assim 6*4=24

Agora trabalharemos os decaimentos, ou seja, 6*4=24 e o resultado vezes um de seus produtos como 24*6 o valor da Vara de Arão nascida no ‘sexto’ dia e por isso o principal valor, parte do signo arqueológíco como já dissémos, o próprio Ankh, é igual a 144 de 144 mil simbólico e da medida do muro em côvados que tem número de homem, mas perceba que todos os valores deste sistema com o decaimento, decaimentos este explicado em Elementos por Euclides, nos mostrará que todo o conjunto, além do todo do sistema nos leva as medidas sempre 144.

Como aconteceu isto? 6*4=24*6 novamente que decaiu em si mesmo igual 144 e daí conforme chaves de Daniel Biblico, quantificado, mil, milhares, milhões. De qualquer forma entenda que decaimos o produto novamente sobre o primeiro valor 6 e geramos um segundo produto dentro da Arca. Imagine assim, a linha dupla que contem 6 e 6 o tempo todo cai em si mesma ao mesmo tempo que alimenta as próximas 3 linhas em 4,4,4 decaindo em si mesma e rateadas, menores que 6 e 6 que fornecem este produto e assim e agora elas trabalham novamente em conjunto gerando o produto 144. Vamos lá denovo: 6+6=12 decaindo em si mesma e criando 12 que rateado em 3 partes é igual a 4+4+4, em seguida, 6+4 em si mesmo forma 24*6 que decaiu em si equivalente a 144, simplesmente maravilhoso o sistema e perfeito, lindo, explicando o nosso universo em ondas espacial.

Por que 144 mil? Como dissemos a linguagem a priori é órfica de qualidade, coordenada, ou seja, se encontramos 0,06 este vale 6, se 0,04 este vale 4, os zeros são apenas pulsos de quantificação de ‘zoom’ para maior ou menor quantidades. Dado o inteiro e encontrado o valor 144 agora acoplamos esta sabedoria as chaves de Daniel Bíblico ‘mil, milhares, milhões’, logo, 144 mil, milhares, milhões, etc.

Abra a sua Arca em .pdf para acompanhar esta matéria. Clique Aqui!

Lembre que na matéria já publicada Surpreenda-se: A Arca da Aliança sempre esteve na Esfinge de Gizé o valor das linhas de segmento F e G são 0,054+0,09 resultando em 0,144. Desdobramos um caminho de cálculo do sistema para chegar a este valor demonstrado nesta matéria anterior.

F e G são as linhas em 0,06 e poderíamos dizer relacionadas ao mesmo tempo aos compartimentos por gancho em 0,04 de valor e com o mesmo fim último em resultado, o 144, metafísica, e que consideramos agora no sistema como sendo por decaimento, um único quadrante sempre, é como se tudo estivesse disperso, mas em 144 no mesmo lugar o tempo todo. Se temos 0,06*6 quadrantes e 0,04*9 quadrantes temos 0,36+0,36=0,72.

Dos valores da sexta linha ou terceira linha por bloco se 2:3 do sistema em cortes proporcionais, veja a arca, em 0,72 encontrado vamos multiplicar por 0,03 equivalente a 3 decaimentos ou a sobra de apenas uma coluna de 0,01 acima do bloco dos valores de 0,04 e assim teremos o valor 0,0216. Vamos transformar tudo em inteiro e trabalharemos por decaimento o sistema metafísico da coisa ou seja diminuiremos o resultado pelo produto e assim na diminuição de 216 menos 72, ele mesmo, encontramos o valor e novamente 144 ‘mil, milhares, milhões’. Neste caso a onda bate e volta, aquilo que decai, rateia e se multiplica em 6 e 4 agora aumentando deve por corte diminuir e voltar a 144 em 216-72 e por decaimentos.

E mediu o seu muro, de cento e quarenta e quatro côvados, conforme à medida de homem, que é a de um anjo. Apocalipse 21:17

Perceba que este pulso de sistema de diminuição de 2 pulsos de 3 valores dados quaisquer e resultando em um dos valores do próprio pulso em sistema de 3 pulsos dados quaisquer que nos remete a um resultado e sempre destes três pulsos dados encontramos e equivalentes nos valores de anos de Genesis 5 da Bíblia explicando as 7 cabeças apocalipticas de homens da prostituição, linhagem de Adão e que explica o peso e medida do próprio destino do homem ao qual você poderá apreciar aqui a matéria.

Veja que da Idade de Adão 130, 800 e 930, os valores 930-800 é 130 ou 800+130 é 930 etc. Códices de pulso sobre esta chave arqueológica!

Perceba que o valor 216 encontrado menos o valor do próprio sistema em 72 que o fez encontrar 216 através de 0,72*0,03 da linha remete a 144 do valor do segmento acima que nutriu por decaimento em 0,01*3 estes resultados nele mesmo, o gancho, o decaimento Euclidiano e comprensão de manuseio deste mesmo sistema arqueológico por Arquimedes.

Um gancho sistêmico, um atado em cordas, a verdadeira e sempre existente Teoria das Cordas e que sempre foi e é arqueológica. Jesus conhecia tudo isto!

As medidas deste muro e ganchos do sistema é um pulso de base onde seus resultados encontrados em 144 garantem pelo sempre gancho neste pulso perceptivo da ‘coisa’, o entendimento da curva e que podemos chamar de decaimento ou convergência junto a um sistema de rateio da corda na Arca que mesmo sendo rateado vai multiplicando, note, por ser rateio a própria corda 1 se multiplica e multiplicada nela mesma por ser nela mesma rateada e uma só tornando-se múltipla e daí de condensada, a luz, ampla, imanente, ampliada, forte, necessária e para todos!

Pense assim, no que confere a qualidade de pulso sistêmica do sistema ao qual explicaremos abaixo:

De uma linha multiplicada pela linha abaixo e encontrando o valor 24 multiplicado pela própria primeira linha (veja imagem da Arca com seus números) adquirimos um pulso 144 onde todas as linhas se tornam a mesma desconsiderando e considerando a massa ao mesmo tempo, pois a priori multiplicou por quantidade em 0,06*0,04 obtendo um valor e o encontrando e desconsiderando a massa em 24 multiplicou pelo valor supremo e superior da Vara sem a tampa o valor 6, pois 6 mais 3 pulsos da tampa é 9, sendo 9 o valor dos céus simbolicamente, sendo assim reveja o cálculo apresentado posteriormente neste artigo que encontrando 0,00024 e desconsiderando a massa tanto deste resultado como de 0,06 da casa obteve-se 24*6 encontrando 144 em 3 pulsos do próprio sistema onde os zeros são quantificações. Quando falamos desconsidere a massa e conforme o próprio Sir Isaac Newton na história dialética analisando a mesma arqueologia e signo arqueológico provado e demonstrado em seu Corolário I da Principia queremos dizer desconsidere a diferença de tamanho entre 0,06 e 60 de forma a transformar o número a priori em uma coordenada, logo, qualidade.

Lembre-se 0,06 e 6 na qualidade são os mesmos, e o mesmo sistema de pulso usamos em 0,72 que corrobora com a perceptiva de Genesis V apresentada em códices sobre os anos dos corruptores, 7 cabeças apocalípticas e que confere códices de um sistema de pulso da própria Arca, sua trigonometria e que com compasso dá poder, poder de desenvolver altíssimas tecnologias. Pulsos e coordenadas é disto que estamos falando e analisando, ou seja, coordenadas quando desconsideramos a massa e pulsos quando de 3 números um deles sempre será o produto seja somando ou diminuindo conforme códices de Genesis V. Tá aí a importância de realmente se ler a Bíblia ao qual a hermética de culto a energia a mandalas coloridas se recusa a ler e os interpretes de dízimos a corrompem.

É a segunda coluna do segundo bloco de 3 linhas abaixo do primeiro bloco de 2 linhas, 3 e 2 do sistema do Graal lateral ou 2 e 3 que temos 0,01*3 de 5 partes sempre estudadas, apresentadas nas estelas egípcias do sistema que explicam o gancho, a curva em 0,03 que ata agora este sistema à linha debaixo em 0,72 e por decaimento, onde ela multiplicada por este gancho cúbico e diminuída de si mesma se tornará a mesma linha por decaimento, mas multiplicada, quantificada, pois é mais um 144 encontrado.

E perceba que na coluna de 0,72 em razão as duas primeiras linhas F e G em 0,06 e 0,04 ocorrerá um pulso inverso do cálculo.

Em 0,06 e 0,04 multiplicamos e daí com o resultado multiplicamos pelo mesmo sistema em 6 na qualidade de inteiro. 6*4=24*6=144 ‘mil, milhares, milhões’.

Em 0,072 junto ao gancho 0,01*3 do sistema multiplicamos e daí com o valor dele mesmo diminuímos 216-72 corroborando com a estrela que abre e fecha do Anjo de Filadélfia em apocalipse que vem salvar os que estão sendo enganados e alimentados pelas doutrinas dos falsos judeus (fariseus) e satânicos de ordem por nada entenderem da verdade. ENTENDA: Ganhamos 144 e agora devemos perder a exponenciação da coisa dentro de uma caixa fechada para voltar a 144 quando alcançado o ponto 0,72 da ‘coisa’ e 0,72 para quem está nos acompanhando ou se inscreveu no curso de Euclides refere-se a 75% da tal terça parte ou 70% do limite de corte do sistema arqueológico, pois todos estão na casa 7.

Se você não se inscreveu no curso de Euclides, se inscreva, este curso lhe ajudará a compreender o signo arqueológico detalhadamente através da obra Elementos de Euclides que o defende.

Vejam, em um multiplicamos, adicionamos por multiplos e no outro diminuímos, e por isso a estrela da Arca, a sua chave que é uma estrela, a própria estrela hitita ou estrelo de Jó, abre e fecha conforme Anjo da Filadélfia. Ganha e perde e se mantém firme capaz de nutrir energia sem explodir e em si mesma.

E por isso profeticamente a medida em côvado 144 da pedra é a mesma medida dos 144 mil que acordados se tornam os escolhidos de Apocalipse e ao mesmo tempo medida de anjo, pois é o próprio anjo da Igreja de Filadélfia de Apocalipse que explica o abrir e fechar desta estrela maravilhosa que esta no muro de 144 côvados, a própria Estela que se encontra na Esfinge de Gizé e que dá o verdadeiro caminho de labareda de fogo do receber o Espírito Santo na espiritualidade que não é culto, mas caráter.

Vamos lá, pegue a sua imagem da Arca com números e me acompanhe:

Primeiro bloco de 5 partes em 3 por 2 ou 2 por 3 das proporcionalidades sempre apresentadas nas Estelas Egípcias, linhas F,G,DE,C: 0,06*0,04=0,00024 que de 24*6 são 144. Deixe o valor de lado e agora de 0,72*0,03 referente a uma reta única de valor cinco Maia tão quanto Egípcio, uma única coluna com cinco compartimentos multipliquemos obtendo o valor 0,0216 e considerando 216 diminua 72 e obtemos por decaimento, gancho, pulso dentro do mesmo sistema e novamente 144. 144*2 resultados é 288-216=72 novamente, o verdadeiro quadrado mágico da coisa e que na verdade sempre foi metafísica com a utilização de mathema e muito compasso.

Você parou para pensar o que é 72 nesta especulação e que parece o tempo todo ser produto do movimento desta mesma especulação na chave, o tal valor 7 do limite, pois 70*7 é o limite dos erros do homem. Entenda na linguagem de qualidade separamos o números essencial 7 de 2 de 72 e temos 7 de mil, milhares e milhões e que no signo diz respeito a curva, ao valor da circunferência. Veja, 72/2=36 e conforme chaves de Daniel Bíblico 360, mil, milhares e milhões. Note que 360 é um giro da ‘coisa’ e isto não é coincidência, mas pura mathema e padrão e para melhorar ainda mais a especulação 72/3 nos devolve ao início em 24 de 6*4. Perceba que descemos as linhas da Arca da estela que está em Gizé e subimos como ondas retroalimentativas e em cortes em si mesmas, pulsando através de um fluxo de controle de liberação ideal de energia de forma a gerar energia e ao mesmo tempo, e que ao mesmo tempo estando em lugares diferentes, neste verbo, nesta mathema entre cortes e proporções estamos o tempo todo no mesmo lugar!

Veja que mesmo que o valor 144 venha a ocorrer em um outro local ao mesmo tempo este pulso que veio de cima para baixo se retroalimentando nos ganchos de curva 0,03, valor central da arca, ocorre em locais diferentes sendo o mesmo local o tempo todo. Metafísica.

E aqui compreendemos a tal caixinha de Pandora, ou seja, Arca que de caixa se torna Caixinha de Pandora em razão de seu poder conferindo no coração dos homens as mais infindáveis emoções de poder humano incontrolável e assim prejudicando todo um sistema regente mundial até hoje e por isso a Bíblia exige tanto as vigias de seus desejos, pois tolo de quem ouve o coração – provérbios – tolo de quem ouve primeiro o desejo como ostentar único por poder sobre o outro mentindo sobre o mesmo poder conhecido.

Enfim, quanto a análise da verdadeira Metafísica pense assim: enquanto por rateio, por quebra tudo se multiplica, note que por diminuição, o próprio rateio, este soma-se, aumenta, oferencendo movimento e ao mesmo tempo a possibilidade de se estar sempre no mesmo lugar 'quanti'. Nossa mais pura cosmogônia Universal plana e curva ao mesmo tempo, curva e plana ao mesmo tempo no tempo espaço unido a singularidade. Partes disto explicamos em Conte a Eles Alice: Os V Axiomas Euclidianos.

Seria esta a condição da idéia primeira do sistema quanto ao decaimento ao qual explica por cosmogonia o próprio espaço tempo ou o que não é paradoxo, pois o é, movimento e estático em um único e mesmo lugar o tempo todo ou vice-versa.

Esta compreensão metafísica nos dá a capacidade de viajar no tempo espaço, espaço tempo, tão quanto construir infinitas tecnologias funcionais das mais simples as mais complexas. Wells não era um louco quando falava de ‘viajem no tempo’. Baixe Weels gratuitamente!

Agora sobre a última linha: 0,084*0,06 dela mesma no produto agora de 0,00504 e considerando 504-216 do resultado anterior oferencendo o valor 288, peguemos o valor 288-144 das linhas em resultados anteriores e veja novamente por multiplicação 144, um mais novo decaimento crescendo ao mesmo tempo na expressão de ponto e gancho em 144 de pulso diminuindo e se mantendo firme e infinito em si mesmo. 144 se multiplicou por rateio e cortes e proporcionalidades e tudo de 6 e 4 da coisa.

Isto comprova Euclides explicando em Elementos que todas as linhas decaem em uma só sendo esta uma só um ponto e ao mesmo tempo todas as linhas onde isto ocorre pelo gancho 0,33 do sistema central da arca ou mesmo o derivado usado por Tesla e compreendido pelo mesmo de 3,6 e 9 do sistema criando várias possibilidades, note que tanto 3,6,9 são três elementos como de um em um tem três pulsos entre si, o tridimensional tão importante da leitura do campo, o próprio signo arqueológico, a terça parte!

Por isso Georg Cantor concluindo através desta sabedoria e contra os czaristas de época 30 anos antes dos Prógons dizia, o infinito se guarda no bolso, ‘pocket‘, concluido por ganchos e decaimentos desta ‘derivada una o duplo explicado acima pelos nossos antepassados reais’, simples assim.

Olha que lindo, perfeito, magnânimo!

Analisemos novamente este versículo Bíblico e para não termos dúvidas.

E mediu o seu muro, de cento e quarenta e quatro côvados, conforme à medida de homem, que é a de um anjo. Apocalipse 21:17

O muro mede sempre 144 côvados do valor dos 144 mil de homens do Apocalipse reclamado pelo nosso corruptor Enoque em o Livro antecedente a Apocalipse, o livro de Judas, dos traidores, e este mesmo valor é a de um anjo, o anjo da Filadélfia que tem a estrela que explica o pulso que abre e fecha através da própria Esfinge de Gizé; Esfinge de Gizé, a representação de um tipo de pitonisa como a própria manifestação daquilo que está abaixo do trono com olhos que a tudo vê de Deus também descrito em Apocalipse.

Vamos apreciar as passagens:

 
DO NÚMERO DE HOMENS: E cantavam um como cântico novo diante
do trono, e diante dos quatro animais e dos anciãos; e ninguém podia
aprender aquele cântico, senão os cento e quarenta e quatro mil que
foram comprados da terra. Apocalipse 14:3

DO ANIMAL PROSTADO NO TRONO, ABAIXO DO TRONO, A PRÓPRIA
ESFINGE: E o primeiro animal era semelhante a um leão, e o segundo
animal semelhante a um bezerro, e tinha o terceiro animal o rosto
como de homem, e o quarto animal era semelhante a uma águia
voando. Apocalipse 4:7

DE ENOQUE, O SÉTIMO, CORRUPTOR, UM JUDAS: E destes profetizou
também Enoque, o sétimo depois de Adão, dizendo: Eis que é vindo o
Senhor com milhares de seus santos; Judas 1:14

A Estela é um muro, correto! E acabamos de por números que ela apresenta junto ao Carvalho , carvalhais de Manre que nos leva a estrela hitita cuneiforme de 8 pontas medi-la encontrando 144 côvados conforme a medida de homem daqueles que virão, os Santos junto com o Senhor conforme Enoque corruptor da Ordem das 7 cabeças da prostituição mais as 10 cidades em Noé com a Arca reconhece dado a sua própria corrupção da Ordem.

E olhei, e eis que estava o Cordeiro sobre o monte Sião, e com ele cento e quarenta e quatro mil, que em suas testas tinham escrito o nome de seu Pai. Apocalipse 14:1

Pois a tudo enxergavam e a tudo entendiam, os sábios dos últimos dias de Daniel Bíblico ao qual suas coxas eram virgens porque suas vestes eram brancas em caráter capacitando o Espirito de Deus a se manifestar neles mesmos como a mais pura semelhança de tudo o que é realmente Divino, Sagrado e Respeitoso: A Verdade!!!

Simples assim!

Ajude a nossa página a crescer, seja um doador anonimo, precisamos comprar para nossas Lives, CPU, placa de vídeo!

Apostando sempre na sua Qualidade de Vida e Conhecimento ‘O Novo Paradigma’.

paradigma

O Novo paradigma é um site 'revelador' que discute temas sobre o Santo Graal da Ciência e Espiritualidade resgantando na arqueologia e História a Primeira Filosofia, Metafísica, Teoria das Cordas, Quântica, Física e Tecnologias.